quinta-feira, outubro 28, 2004

triste

Essa foi uma das coisas mais horríveis que eu já presenciei.

Não consegui dormir direito essa noite, perdi uma prova importante hoje. Tenho sorte de ainda poder fazê-la à noite.

Não havia condições de continuar o jogo. Fez muito bem o árbitro da partida. É uma pena. O campeonato ficou em terceiro, quarto plano.

Eu gostaria de ter ficado em casa...

sábado, outubro 16, 2004

"japa japa girl!"

Pois é, Ó, jeezny, tiraste a infeliz bolnoy deste bratchny malchick. Trouxestes uma bela molodoy devotchka para tornar meus momentos ainda mais sladky que um dia já foram, Ó, minha irmã.

Nova relationship status: committed.

Só tenho a agradecer a Bog e a todos os seus Anjos e Santos.

"She said she's only sixteen. la di da, if you know what I mean..." ;)

quinta-feira, outubro 14, 2004

por isso eu corro demais!

Musiquinha pra ilustrar o momento:

POR ISSO CORRO DEMAIS - Roberto Carlos

Meu bem, qualquer instante que eu fico sem te ver
Aumenta a saudade que eu sinto de você
Então eu corro demais, sofro demais, corro demais
Só pra te ver, meu bem

Você ainda me pede que é pra eu não correr assim
Meu bem, eu não suporto mais você longe de mim
Por isso corro demais, sofro demais, corro demais
Só pra te ver, meu bem

Se você está ao meu lado eu só ando devagar
Esqueço até de tudo, não vejo o tempo passar
Mas se chega a hora de ir pra casa te levar
Corro pra depressa outro dia ver chegar
Então eu corro demais, sofro demais, corro demais
Só pra te ver, meu bem

Se você vivesse sempre ao meu lado eu não teria
Motivo pra correr e devagar eu andaria
Eu não corria demais, corro demais, corro demais
Só pra te ver, meu bem


Amanhã será outro dia, e que belo dia será, Ó, meus irmãos! Me sinto muito horrorshow. Logo mais tirarei uma spatchka pra começar a sexta-feira muito bem. Um bom copo de moloko antes... e cama! Ah, nada como um bom dia após o outro para as coisas melhorarem para um maltchvik como eu.

segunda-feira, outubro 11, 2004

o super-herói foi vencido...


Sempre gostei do Super-Homem. Meu pai tinha uma coleção de revistinhas em quadrinhos dele. Desde a número 1. Eu devorava todas elas. Tinha meus 5 anos quando comecei a gostar das aventuras do homem de aço. Assisti aos (os?) filmes e sempre fui fã de Christopher Reeve por suas atuações na pele do meu herói favorito. Não perdia um episódio das "Novas aventuras do Superman" na Globo... e por um tempo acompanhei "Smallville", mas por causa do meu horário não consegui mais assistir.

O gibi que mais vezes eu li com o maior interesse foi um de 200 páginas, chamado "A Morte do Super-Homem". Minha torcida por ele foi em vão nos quadrinhos. Apesar de sua morte, sua luta foi vencida: o monstro Apocalipse foi vencido. As revistinhas da volta do super homem eu li também, mas não foram lá essas coisas. E a edição da "Morte..." era de luxo, vinha com muitos brindes extras, como a revistinha número 1 em inglês, adesivos, um silk pra colocar numa camiseta... Tudo o que um fã pode querer.

Na vida real, sempre torci pela luta de Christopher Reeve pela liberação da pesquisa com células-tronco. Ele ficou paraplégico em 1995, pra quem não sabe. Eu ficaria muito feliz em vê-lo andar novamente. Ele sempre foi um ícone de super-herói pra mim. Um homem que, apesar de tudo, continuava sua luta. Com a notícia da morte de Christopher Reeve, eu me lembrei da revistinha que eu li e reli tantas vezes. Não haverá uma "volta de Christopher Reeve". Ele se foi na mesma semana em que foi aprovada a lei da Biossegurança no Brasil. Como nos quadrinhos, o Super-Herói deu sua vida para salvar muitas outras. Foi vencido pelo inimigo, mas a batalha continua. Suas ofensivas foram determinantes para chegarmos onde estamos hoje. É um exemplo de coragem e determinação. Sua luta não foi em vão.

Christopher Reeve foi e sempre será o Homem de Aço que todos nós temos na memória. O super-herói foi vencido, mas não perdeu a guerra. Como na revistinha, o Apocalispe está sendo derrotado por todos nós.

domingo, outubro 10, 2004

Welly welly welly welly welly welly well!

To what do I owe the extreme pleasure of this surprising visit?


O seminário foi muito bom, Massuda Shihan é um ótimo instrutor, tem uma didática que poucos têm. Dois dias de treino bastaram pra eu tirar meu atrazo no aikido, fazia tempo que não treinava bem como treinei esse fim de semana. Amanhã treinarei renovado no Taiyo.

Ah, eu estou feliz. E vou tomar banho ouvindo música.

terça-feira, outubro 05, 2004

período de transição

(atenção: post inútil e extremamente interno. Pule para o próximo.)

Música pra ilustrar o momento:

De onde vem a calma - Los Hermanos

De onde vem a calma daquele cara ?
Ele não sabe ser melhor, viu?
Como não entende de ser valente
ele não saber ser mais viril
Ele não sabe não, viu?
Às vezes dá como um frio
É o mundo que anda hostil
O mundo todo é hostil

De onde vem o jeito tão sem defeito
que esse rapaz consegue fingir?
Olha esse sorriso tão indeciso
Esta se exibindo pra solidão
Não vão embora daqui
Eu sou o que vocês são
Não solta da minha mão
Não solta da minha mão

Eu não vou mudar não
Eu vou ficar são
Mesmo se for só
não vou ceder
Deus vai dar aval sim,
o mal vai ter fim
e no final assim calado
eu sei que vou ser coroado rei de mim.


Já me sinto anestesiado. Há tempos não dou a mínima importância se não me dão o valor que eu gostaria de ter. Chego a ficar mal um tempinho, mas, no final, vejo que aquilo tudo não passou de cena.

Cansei de me desgastar dessa maneira. Vou seguir minha vida como vinha seguindo há um tempinho. Tudo está se encaixando, tudo está correndo bem.

Não há coisa melhor que amizade. O resto é desprezível. Todo o resto. Já tenho o que preciso pra sobreviver, então, o que vier é lucro.

Não vou perder as esperanças nem desistir (afinal, "sou brasileiro e não desisto nunca"). Mas já estava ficando neurótico demais.

Calma, calma, Leandro. Sua hora vai chegar.
---
rush - tom sawyer

domingo, outubro 03, 2004

voltei.

E não é que a urna eletrônica parece mesmo um forninho elétrico? Não tinha reparado nas últimas eleições.

3 de outubro - vota, Brasil!

Bom voto pra vocês.

Em São Paulo, que vença o melhor. Desde que seja o meu candidato.

Mantendo a tradição das eleições presidenciais, não revelarei meu candidato. Segundo dizem, "o voto é extremamente secreto".

Prefiro falar do meu time, que ontem venceu de maneira merecida seu arqui-rival. Não podia ser diferente, depois de uma vitória como a de terça-feira. E ontem, também, foi aniversário do gigante do morumbi. 44 anos. Meus parabéns!

E que venha a Ponte Preta!

sábado, outubro 02, 2004

mais uma turma se formou...

... e eu volto a exercer um dos meus vícios.

Dizem que na vida você pode se viciar em quatro coisas:
1. Sexo;
2. Drogas;
3. Álcool;
4. Dar aulas.

Dar aulas é um vício raro, pois poucas pessoas se aventuram. Mas quando pega, não larga.