quarta-feira, abril 18, 2007

A cobaia

Certas coisas acontecem sem a gente saber o porque e como a gente pode fazer pra contornar a situação.

---

Havia um garoto que tinha uma cobaia. Cobaia é um dos muitos nomes dados popularmente ao porquinho-da-índia. Esse garoto tinha uma certa semelhança com o menino citado por Manuel Bandeira em Libertinagem. Seu porquinho-da-índia era muito importante.

O garoto e a cobaia eram inseparáveis. Onde um ia, o outro seguia. Era uma relação que causava muito prazer a ambos. Com a cobaia sempre a tiracolo, o menino brincava, jogava bola, dormia, enfim, vivia.

A cobaia um dia sumiu. Nesse dia, ele acordou e a cobaia não estava mais lá. Como o garotinho chorou. Pensou que ela havia morrido. Ou então que havia fugido por não gostar mais dele.

O tempo foi passando e a lembrança da cobaia não se esvaía. Principalmente porque cada dia o garoto encontrava um rastro da presença do seu porquinho. Um pouco de pelos aqui, um pouco de ração mastigada acolá, um brinquedo jogado... O porquinho-da-índia parecia querer brincar de esconde-esconde.

Certo dia, cerca de um mês depois do sumiço, a cobaia reapareceu. Veio correndo ao colo do garoto. Ele ficou extasiado. Abraçou tanto a cobaia que quase a esmagou em seus braços. Pulou tanto com ela no colo que quase a matou de enjôo. Correu tanto e queria fazer tantas coisas que a cobaia se cansava facilmente e ia dormir, sem nem ao menos dar boa-noite.

A cobaia já não era a mesma. Não brincava como antigamente. Não ficava no ombro do garoto como antes costumava fazer. Não parecia estar feliz.

O garoto, então, vê que seu bichinho de estimação estava estranho. Resolve que vai soltá-lo na natureza, de modo que ele possa viver livre, em seu habitat natural.

A cobaia, já acostumada à vida com o garotinho, completamente inapta a voltar a habitar o ambiente selvagem, não se adaptaria novamente à nova vida. Ela morreria em pouco tempo, por falta de experiência e proteção. Seria alvo fácil para os predadores. Não demoraria até virar comida de uma cobra ou de alguma outra ave de rapina.

O garotinho não sabe disso. E acha que está fazendo o melhor para seu bichinho ao soltá-lo na natureza. Sofre, chora, se desespera. Mas está certo que é a melhor opção para ambos que seja assim.

O garotinho ama a cobaia como ama um filho o seu pai. A cobaia ama e precisa do garoto como precisa uma criança recém-nascida de sua mãe. No entanto, o que nenhum dos dois conseguem ver é que o que eles precisam realmente é um do outro.

O garoto vai reaprender a viver normalmente com a cobaia. E a cobaia vai reaprender a andar sempre no ombro do garotinho, participando de tudo na vida dele. Mas isso leva tempo.

E quem se arriscaria a deixar a cobaia morrer?

sábado, abril 14, 2007

Amanhã começa...

... a COPA USP 2007! Pelo menos no Basquete.

Vamos ver até onde a Biologia é capaz de ir. Estou pronto (e de tênis novo!) pra contribuir no que for de meu alcance.

Faltei no treino 6a feira por questões paralelas que não merecem citação aqui. Mas estou pronto. Como diria Bob Esponja: ESTOOOOU PRONTO! estouprontoestouprontoestouprontoestouprontoestouprontoestouprontoestouprontoestoupronto!!!

quarta-feira, abril 11, 2007

Agora que eu tô à toa...

... deixa eu atualizar um pouco esse troço.

Então, passei na USP! Finalmente sou um estudante de Biologia! Mas passei no noturno (que é mais legal). A única desvantagem é o fato de serem 6 anos de curso. Mas enfim, tô lá e é isso o que importa.

Não faço nada o dia inteiro, então comecei a treinar Basquete pela Atlética da Biologia. Até que eu não tô tão ruim quanto eu pensava. Joguei o Bixusp e vencemos 50% dos jogos que disputamos (2, o que já é um recorde!!). Domingo agora começa a Copa USP, que é séria e todo mundo joga (não só bixos).

Hoje é quarta. Todas as quartas-feiras tem reunião de organização da X Semana Temática da Biologia, que acontece em Setembro. Ainda estou bastante perdido, mas eu acho esse negócio de organização de eventos muito legal (a única coisa que me agradou na Administração).

Semana passada viajei para a Ilha do Cardoso, pra estudar a interação entre as espécies de plantas nas dunas. Pela USP. Chique, né?

...

Também na semana passada, viajei com a Marina pra São Sebastião do Paraíso (MG), cidade da família da minha mãe. 5 dias extremamente agradáveis na companhia de meu tio e meu avô.

Dia 22 fazemos 2 anos de namoro. Ocasião especial que merece comemoração especial! Vamos ver o que podemos fazer. :D

Bom, é isso. Estou agora no STOA e esse blog será importado pra ele. Não vou atualizar mais por causa disso, mas pelo menos eu sei que alguém obrigatoriamente vai ler. Isso aqui anda bem morto há muuuuuuuuuuuuuuito tempo.

...

Pra falar a verdade, nem sei se eu devo continuar com esse blog. Ele nasceu já há 5 anos. Já anda, fala, faz malcriação, mente, essas coisas de criança chata. Não tenho coragem de matá-lo, mas prolongar sua vida com postzinhos ridículos, sem graça e extremamente sazonais também não é a forma mais digna de mantê-lo vivo. Parece que está respirando por aparelhos.

Sou a favor da Eutanásia. Mas não no meu blog.

...

Quer saber? Leiam os arquivos. De 2002. São bem mais legais.

terça-feira, abril 10, 2007

Mas não sou mais tão criança a ponto de saber tudo...

...

Malditas Drosophilas melanogaster, que não fazem sexo!

...

noturno é mais legal
noturnémaislegal
noturno é mais legal
noturnémais legal

NOTURNO É MAIS LEGAL!
NOTURNÉMAISLEGAL!
NOTURNO É MAIS LEGAL!
NOTURNÉMAISLEGAL!