sexta-feira, dezembro 21, 2007

Nascer em outra época/lugar/família?

Muitas vezes já desejei ter nascido em outra época, outro país, em outra família... Ter outras experiências, ver outras pessoas, viver outra vida. Mas recentemente eu percebi que isso é impossível. O único momento que eu poderia nascer era o que eu, de fato, nasci. O único período em que eu poderia viver é este em que vivo hoje. É biologicamente impossível eu ter nascido em outra época ou local, ou mesmo ter outros pais.
Sou o resultado da união de uma célula do meu pai com uma célula da minha mãe. Células específicas. Se minha mãe e meu pai nunca tivessem se encontrado, eu nunca teria nascido. E, se tivessem se encontrado em outra época, também eu nunca teria tido a oportunidade de viver mais do que alguns segundos. Seriam outras células envolvidas, outros indivíduos sendo formados. Meus inatos irmãos que nem sequer tiveram chance de ser gente.
É incrível pensar que justamente no momento em que eu poderia ter sido concebido, eu fui. É meio bobo falar e ouvir coisas assim, mas é realmente inacreditável. Era uma chance muito ínfima de eu, justo eu, ter nascido. E nasci. Não os outros milhões de indivíduos que poderiam ter nascido no meu lugar. Fui eu. Metade de mim foi o mais rápido, enquanto a outra metade apareceu justamente na hora certa. E, dessa união, surgiu o que anos mais tarde estaria escrevendo isso tudo aqui...

É, é bobo. Mas é fascinante pensar nas possibilidades. O que seria de mim se não tivesse nascido? Não quero nem imaginar, pois me daria remorso da imensa quantidade de pessoas em potencial a quem inconscientemente neguei a oportunidade de nascer. Ó, fim triste. Não que a igreja esteja certa ao postular a regra de que "todo esperma é sagrado", mas é algo a se pensar.

Não, não vou deixar de fazer coisas que me agradam por isso. Só estou pensando na sorte imensa que eu dei: a fecundação ocorreu justamente no dia e no lugar certo pra que eu (sim, eu) nascesse.

Eu não poderia estar em outro lugar, nem em outra época.

Legal!

Mas isso não me impede de fantasiar...

Nenhum comentário: