quinta-feira, fevereiro 26, 2009

Tudo é divino, tudo é maravilhoso.

Não acredite nisso, não, tudo muda e com toda razão.

Mas sei que tudo é proibido. Aliás, eu queria dizer que tudo é permitido até beijar você no escuro do cinema, quando ninguém nos vê.

Não me peça que eu lhe faça uma canção como se deve. Correta, branca, suave, muito limpa, muito leve. Sons, palavras, são navalhas, e eu não posso cantar como convém, sem querer ferir ninguém.

A vida realmente é diferente, quer dizer, a vida é muito pior.

Eu sou apenas o cantor.

Mas sei que nada é divino, nada, nada é maravilhoso, nada, nada é sagrado, nada, nada é misterioso…

Nenhum comentário: