domingo, março 29, 2009

Aikido em São José dos Campos

Um domingo como há muito não vivia: Acordando cedo, mais precisamente às 6 da manhã, banho tomado, saí a pé para o Dojo. No caminho, encontro com os Senseis Nagao, Melina, Alex e Ayumi, além de Glauco e Gledson, entro no carro e, na estrada, seguimos rumo a São José dos Campos para o Workshop de Aikido e Shiatsu, organizado maestralmente por André Sensei, na Academia Calasans Camargo.

Após um café da manhã na estrada, chegamos à famosa praça “Maconhão” (haha, belo nome para uma praça onde iríamos treinar), onde treinamos, sob as vistas de muita gente curiosa e fascinada, técnicas de boken (espadas de madeira). Mais de uma hora de treino, algumas pessoas juntaram-se a nós para as partes finais. Foi muito legal!

Daí, lanche e seguimos para a Academia para a segunda parte: uma demonstração para alunos de outras artes marciais (e até curiosos que não treinam nada), com Nagao Sensei, como sempre, arrebentando na apresentação do Aikido e suas relações com a Acupuntura e o Shiatsu. O evento foi filmado e assim que eu souber onde vão colocar as imagens eu posto aqui. Apliquei um Jiu-waza enquanto filmava, espero que saia na edição final.

Churrasco depois, na casa de André Sensei, com direito a muita conversa fiada, conversa séria, risadas, contribuindo para o clima de amizade que só sinto nesse ambiente.

Estrada na volta, muita conversa com Glauco no trânsito da Dutra, Ayrton Senna e Marginais, fado tocando no rádio… cheguei em casa há pouco e sinto aquele famoso cansaço de bem estar!

Belo domingo, daqueles inesquecíveis que só nos fazem pensar que vale a pena todo o sacrifício e dedicação ao Aikido.

O-Sensei Morihei Ueshiba, brigadão, cara! Você é foda!

sexta-feira, março 27, 2009

Festival Just a Fest

Pô, fui no show do Radiohead, Kraftwerk e Los Hermanos e nem postei nada aqui, né?

Então, fui lá!

Comprei ingresso na quinta feira (quer dizer, meu vocalista compro pra mim lá no Pacaembu). Há um tempo eu podia jurar que não tinha mais ingresso, mas felizmente eu tinha errado em minhas previsões. De fato, os ingressos se esgotaram poucas horas depois de meu ingresso ter sido adquirido.

No domingo, lá estava eu às 16h colocando o carro no estacionamento oficial do evento - R$ 35,00. Pela quantidade de carros que estava estacionando ali, já estava imaginando a dificuldade que seria sair após o show.

Às 19 horas, começa aquele que foi o melhor e mais esperado show (no meu caso): Los Hermanos. Tocaram pouco mais de uma hora, faltaram várias músicas, mas ainda assim valeu pela volta dos caras. Eles realmente são muito bons e eu não tinha idéia de quanta saudade eu tinha de um show deles. Foi sensacional.

Logo em seguida, Kraftwerk. Apesar de eu ter tirado bastante sarro deles, dançado como quem dança reggae, entre outras grosserias, eu gostei. É um som repetitivo, mas o casamento com os telões foi perfeito. Apesar de serem quatro caras em pé, parados, fazendo sabe-se lá o que no notebook (deviam estar fuçando no Orkut ou postando no Twitter), não faltou energia nas músicas.

Aí, pra finalizar, o show mais esperado da noite (no caso de todo o resto que não eu): Radiohead. Não conhecia muito da música deles, a não ser os clássicos dos anos 90 Creep, Fake Plastic Trees e Karma Police. No dia do show ainda escutei o In Rainbows algumas vezes, só pra não chegar com os ouvidos virgens demais ao som deles. O comentário da noite saiu de alguém lá no meio: “essa banda é bipolar!”. E, de fato, é. Alternam momentos de euforia com momentos outros de depressão profunda. O transe na platéia era generalizado, à exceção, é claro, dos que não os conhecia tão a fundo (como era o caso da minha patota que ficou tirando sarro deles também). Gostei muito do show, encorajei-me a conhecê-los mais a fundo agora.

O festival foi muito bom, o que estragou foi a organização. Uma única saída em declive pelo meio do mato para 30 mil pessoas é de matar, né? O caso se repetiu na saída do estacionamento. O show acabou perto de 1 da manhã e eu só cheguei em casa (após uma providencial passada no Drive Trhu do Mc Donald’s) depois das 3 horas.

Mas ainda estou digerindo o show do Radiohead. Eles são bons demais.

Mesmo sem conhecê-los muito, o show valeria a pena pelo aspecto histórico. Primeira vez deles em São Paulo. Uma banda que revolucionou o rock. A influência principal de quase todas as bandas de rock que eu escuto hoje. E uma das bandas que me fez gostar de rock. Eu simplesmente não poderia perder, mesmo correndo o risco de boiar o show inteiro – ou quase inteiro, pois eles tocaram todas as três supracitadas. E o encerramento foi Creep. Sensacional.

quinta-feira, março 26, 2009

Que beleza!

Telemarketing bom é telemarketing que educa!

Daqui.

Dia de celebridade na UMAPAZ

Que bacana! Vou ser entrevistado na aula de foto/video reportagem da natureza sobre nad amais nada menos que minha experiência com blogs!

De fato, o blog é uma ferramenta extremamente útil para divulgação de trabalçhos fotográficos e de vídeo. Mas o meu não é bem pra isso haha… O meu é só pra minhas divagações e comentários idiotas ou não a respeito de coisas notáveis ou não.

Mas ainda assim, como me disse Sérgio Faria, “7 anos na internet são 70!”

E pra quem não sabe absolutamente nada sobre blogs, eu posso sim ser uma boa fonte de informações. Afinal, esse blog nasceu em janeiro de 2002. Faz tempo, né?

7 anos. Como toda criança nessa idade, esse blog só fala besteira.

E, como falamos em divulgação de vídeos e fotos, aqui está meu ainda semi-vazio canal no youtube (que em breve colocarei coisas que ando aprendendo no curso) e minha página de álbums do Picasa (que já tem dois albums, um do meu mochilão pela Europa em 2007 e um do primeiro show da minha banda, Vulgo, em 2008).

domingo, março 22, 2009

Avatares-padrão

E não é que a onda agora é ser fotógrafo? Eu estou fazendo curso de fotografia e muita gente que eu conheço tem câmeras fodaças e tal. Mas o que isso tem a ver com o título do post?

É que duas amigas minhas tiveram a idéia de tirar foto do espelho e botar no MSN como avatar. Ficou um efeito engraçado, porque elas ficaram uma do lado da outra nos meus contatos online. Vejam:

CapturarÉ mole?

sábado, março 21, 2009

Blog e twitter integrados!

Agora sim, o que eu posto lá aparece aqui e o que eu posto aqui aparece lá.

Aqui eu tenho mais liberdade, lá é mais um falatório solitário. Todo mundo falando coisas aleatórias e curtas, na esperança de alguém achar aquilo interessante e responder ou ecoar aquilo que ele fala.

Aqui é mais meu próprio espaço. Não obrigo ninguém a ler tudo, quem tá afim, vem até aqui e lê.

O Twitter é viciante, mas meu blog é meu blog. Ele não tem 7 anos à toa.

quarta-feira, março 18, 2009

Desfile dos chatos!

Como eu não aguento ficar de fora nas coisas legais da internet…

Fiz um twitter: www.twitter.com/lrgoncalves

Mas é agoniante escrever com limite. Vamos ver se eu me acostumo à nova brincadeira.

(Ainda preciso aprender a usar os Favoritos do do Messenger)


Update: olha o meu twitter aí do ladinho! Pronto, agora entrei definitivamente nessa coisa!

segunda-feira, março 16, 2009

Minhas pernas não correm mais como antes…

Puxa, fui tomado por uma repentina sensação de que a tecnologia passou a correr mais rápido do que eu posso acompanhar.

A começar, a febre agora não é mais blog, é twitter. E pensar que eu vi a febre de blogs começar, se desenvolver, virar pandemia e agora ser substituída pelos novos brinquedinhos.

E eu ainda nem sei direito o que é twitter!

Outra coisa é esse novo Messenger. Que, a princípio, não chama mais MSN, agora é simplemente Messenger. Acompanhei bem a mudança do ICQ pro MSN (apesar de usar o ICQ até hoje), mas não faço a menor idéia de como usa os novos recursos dessa última versão. Onde estão os velhos grupos? Agora são categorias, mas… Tem um outro negócio, que agora chama Grupos, que, a meu ver, serve pra mesma coisa do que você simplesmente separar os contatos em categorias, usando a nova denominação. Além disso, tem um tal de “Favoritos”…

Um dia eu aprendo. Só espero que não lancem o Messenger novo antes disso com mais recursos…

domingo, março 08, 2009

Definição

Segundo o tradutor Babylon, Leandro significa:

Leandro (nome próprio) o mesmo que homem-leão.Pessoa que faz tudo para atingir os seus objectivos. No entanto é extremamente sensível não sendo capaz de passar por cima dos outros.

Interessante, né?

Segundo o Blog Curioso BR, Leandro significa:

Corresponde a homem-leão, do grego Léandros. Alguns autores interpretam como 'homem calmo' ou 'homem do povo'.

Tem significado em italiano, também:

Segundo a Wikipedia, Leandro:

Deriva dal greco Leandros, adottato nelle forme latine imperiali Leandrus e Leander. È composto dalle parole laos, popolo, oppure da leios, "tranquillo" e andros, uomo. Il significato può essere quindi o "uomo del popolo" o "uomo tranquillo".

E, o que eu não sabia, é que Leandro também faz parte da mitologia grega. Ainda segundo a Wikipedia italiana:

Leandro è il nome di un personaggio della Mitologia greca protagonista di una tragica storia d'amore con la ninfa Ero, sacerdotessa di Afrodite. I due amanti abitavano sulle opposte sponde dell'Ellesponto, che Leandro ogni notte attraversava a nuoto per raggiungere Ero, finché una notte, vinto dal mare in tempesta, morì annegato.

Segundo a Wikipédia em português:

Leandro era um jovem grego de Ábidos que atravessava a nado, todas as noites, o Helesponto, para ver sua amada Hero, até que um dia morreu afogado durante uma tempestade. Hero, inconsolada, suicidou-se em seguida.

Além disso, os italianos dizem que:

Leandro è il nome del personaggio dell'innamorato nella Commedia dell'Arte. [mantive o link pra quem quiser saber o que é]

E, como se não bastasse:

Leandro è un personaggio di una novella del Decamerone di Boccaccio.

Segundo os lusófonos, Decamerão é:

Decamerão (subtítulo: Príncipe Galeotto) (no original italiano: Decamerone vocábulo com origem no grego: deca = 10; emeron = dias, jornadas) é uma coleção de cem novelas escritas por Giovanni Boccaccio entre 1348 e 1353.

A obra é considerada um marco literário na ruptura entre a moral medieval, em que se valorizava o amor espiritual, e o início do realismo, iniciando o registro dos valores terrenos, que veio redundar no humanismo; nele não mais o divino, mas a natureza, dita o móvel da conduta do homem. Foi escrito em dialeto toscano.

Nada como um pouco de cultura sobre o próprio nome, não é?

quinta-feira, março 05, 2009

Cozinha


Banda Vulgo. Foto do show do Splash Rock Bar, setembro de 2008. Eu na bateria e André no baixo. Foto: Daniel Deak.
Posted by Picasa