segunda-feira, maio 25, 2009

nada como um tempo após o contratempo…

A realidade é constantemente distorcida.

Sempre tem jeito de as coisas parecerem piores do que realmente são. Analisando friamente, sempre temos como ver que nem sempre a coisa é tão grave.

E isso pode ser aplicado pra tudo. Está doendo o peito? Analise. Não é assim tão grave. Deu uma mancada? Não precisa fazer tempestade em copo d’água.

Ninguém é insubstituível. Nem eu, nem você, nem ninguém. Se você exclui alguém da sua vida, você está sujeito à mesma coisa quando algum ato seu for tomado como imperdoável por outra pessoa.

Tudo o que vai, volta.

---

Sou da turma que perdoa tudo. Por isso, talvez, fique indignado quando eu mesmo não consigo um perdão. Acredito que as pessoas têm direito de errar – mesmo porque são humanas, não máquinas. Se estou bravo hoje, amanhã estou só ressentido e depois esqueço.

Não consigo ver um inimigo em quem eu já gostei.

Mas fiz algo feio e que merece castigo. Fiz aquilo que já tinham feito comigo algumas vezes e sei que foi duro de perdoar. Demorou, mas perdoei. A justiça tarda, mas não falha.

---

O tempo cura tudo, perdoa tudo, apaga tudo, esconde tudo.

Nenhum comentário: