terça-feira, maio 19, 2009

A vida tem dessas coisas

Não podemos controlar a vida e isso é um fato.

Fato ainda maior é o que se deriva disso: tampouco podemos prevê-la.

Dessa forma, a montanha russa de sentimentos pode te levar da euforia à depressão em poucos segundos – tendo também a capacidade de fazer o caminho inverso.

A vida maltrata o coração, o faz de bobo e inventa armadilhas sentimentais que você nem sequer imagina. Cai feito um pato.

E quem consegue domar uma coisa dessas? Se os maiores artistas usaram isso tudo como inspiração para suas grandes obras, é um sinal de que tal domínio está fora das ambições de qualquer homem (ou mulher).

Pois se do sofrimento advém a arte, é da superação da dor que advém a maturidade.

Posso estar me tornando cada vez menos artista. Mas a maturidade que adquiro me torna cada vez mais Homem.

A vida tem dessas coisas. Nem sempre faz sentido – na maiorida das vezes, não.

Não há o que fazer. Só o que lamentar.

E as lágrimas lavam a dor que insiste em se instalar.

E como alguém disse certa vez…
“Sei que seu caminho amanhã será um caminho bom, mas não me leve”

Um comentário:

Juliana Cominatto disse...

Você não necessariamente precisa deixar de ser artista pra ser maduro. Muito pelo contrário, eu acredito que a arte cresça com a sua maturidade.