terça-feira, abril 20, 2010

Uma folha em branco…

Uma folha em branco é tudo o que eu preciso para começar a escrever. Muitas vezes a inspiração vem em horas que não tenho esse recurso tão simples. Portanto, ideias que podem ser muito boas escapam do pensamento da mesma forma que chegam: por mágica. Já perdi a conta quantas vezes penso “ah, seria legal escrever sobre isso, teria bastante coisa a falar”. Nessas horas, geralmente estou no metrô, ou no ônibus, ou na aula, ou trabalhando. Situações em que não posso simplesmente começar a escrever e esquecer do resto.

Sim, já escrevi em ônibus e metrô. Alguns textos passados aqui do blog são provenientes desses locais. Mas é muito complicado, balança, nem sempre estou sentado, nem sempre tenho papel e caneta. Logo, nem sempre é possível escrever nessas condições.

Outra coisa: para escrever, tenho que estar sozinho. Não adianta. Não consigo escrever quando tem gente perto de mim, quem quer que seja. Tá, consigo se não for um texto pessoal. Se for escrever textos do trabalho eu consigo, numa boa. Mas se for o tipo de texto que vocês encontram aqui ou aqui, não rola. Tenho que necessariamente estar sozinho.

Então, dá pra ver que minha primeira frase do texto foi um tanto exagerada, né? Pois então. Nem tudo é tão simples quanto a gente acha de início.

3 comentários:

Luccianna disse...

Em parte tenho a mesma dificudade que vc para escrever textos pessoais. No entanto já me peguei escrevendo textos inteiros em salas de aulas.

Agora, mudando de assunto, gostei do novo layout do blog! ficou ótimo! e os peixinhos são mto fofos! ^^

Marina disse...

Pelo menos as nossas brigas te inspiravam a escrever..... Me lembro bem do contexto desses dois textos....

Leandro Gonçalves disse...

É, pelo menos.