quarta-feira, fevereiro 16, 2011

O futuro craque das canchas

Hoje vou falar sobre Neymar.

Que é um craque, ninguém nega. Que sou fã, também não nego.
O que nego é que ele já esteja pronto - e isso só aumenta minha admiração pelo garoto. Nego, também, que ele esteja correto ao fazer o que tantos o criticam: provocar o adversário. 11 entre 10 pessoas que já jogaram futebol sabem o quanto é irritante um adversário que destrói com a bola no pé e depois sai dando risada, dando piscadinhas, faz firulas com a bola parada ou mesmo em lances que elas não eram nem um pouco necessárias. 12 entre esses 11 sabem que o sangue sobe e, se o cidadão não tiver cabeça no lugar, pode dar besteira.
Pois Neymar precisa compreender que futebol é um jogo que ganha quem faz mais gol, não quem faz mais firula. Peguemos como exemplo os jogos contra a Argentina e Uruguai no Sul-Americano Sub-20. Vimos 2 jogadores diferentes em campo. Contra a Argentina, apagado, acuado, irritado. Contra o Uruguai, firulento, marrento, provocando e irritando. Qual a diferença entre esses jogos? Contra a Argentina, o Brasil começou perdendo e teve que correr atras do resultado - e não conseguiu: 2 a 1 para los hermanos, com gol de Willian José. Contra o Uruguai, construiu-se uma bela vantagem de 6 a 0, com 3 gols de Lucas,2 de Neymar e um de Danilo. E não se viu Lucas, dono do jogo, fazendo firulas desnecessárias, provocando adversários ou dando piscadelas ao sair de campo.
Futebol é um jogo onde jogam homens, com todos os seus defeitos e qualidades. A provocação que Neymar faz quando seu time está à frente do placar leva para si uma antipatia crescente, que pode transformar um belo jogo em um octógono, como quase aconteceu na goleada contra os uruguaios. Quando foi substituído, Neymar saiu dando piscadelas aos uruguaios, em um esforço claro e desnecessário de irritá-los. Ali, Neymar fez com que os que se mantiveram em campo levassem as chuteiradas que seriam destinadas a ele. Compare com o jogo contra a Argentina. Neymar acabou levando cartão amarelo desnecessariamente por reagir a uma firula do goleiro adversário, desfalcando o time para o jogo contra o Equador. Esse comportamento é digno de quem provoca quando está ganhando?
Provocar com 6 a 0 no placar é fácil. Jogar sério quando está perdendo de 1 a 0 para a Argentina com um a menos é que é o difícil, o esperado de craques da magnitude que Neymar quer - e pode - ser. Neymar será muitas vezes eleito o melhor do mundo. Mas ainda é um adolescente mimado. Quando esse garoto atingir a maturidade no futebol, sai de baixo.

Nenhum comentário: